Loading...

Postagens populares

Seguidores

Follow by Email

terça-feira, 29 de novembro de 2011

PLANEJAMENTO


"Vendo o SENHOR que Lia era desprezada, fê-la fecunda; ao passo que Raquel era estéril." (Gênesis 29: 31 ARA)


A história da vida de Jacó tem me intrigado nos últimos meses, desde que fui incumbido de ministrar sobre o episódio em Peniel. Este versículo mostrou-me algo que tem ocorrido na minha vida e talvez na sua: a gente planeja as coisas e depois descobre que arrumou encrenca.
Jacó, que se achava esperto, enganou seu irmão e teve de fugir de sua família e foi se abrigar com Labão seu tio, que era mais esperto que ele e o fez trabalhar 7 anos pela esposa errada. Jacó aceita trabalhar mais 07 anos pela esposa certa e quando finalmente a recebe: ela é estéril. Na cultura da época isso era maldição, frustraria os planos de descendência de Jacó e só lendo o resto do texto para ver quanto problema isso criou.
Eu já juntei dinheiro para comprar coisas que não gostei ou que não funcionaram. Já fiquei ansioso por viagens que foram muito abaixo da expectativa. Já me empenhei em trabalhos que nunca concretizei. Já investi em gente que nunca deu retorno.
O que estas situações têm em comum, é que assim como a tentativa de Jacó de ter Raquel, o plano não estava correto. EU planejei, não deu certo. Se Deus tivesse planejado, teria sido diferente, eu creio nisso. Um caminho errado só leva a um destino errado. Olhe como é que Jacó foi parar naquele lugar e conheceu aquela por quem se apaixonou. Examine-se e veja se cada vez que seus planos deram em nada não houve algum desvio, seja no sentido que for. Quer tenha sido uma mentira, um desleixo ou simplesmente algo planejado sem oração - esse caminho termina em esterilidade e frustra os planos.
Foi preciso Jacó passar por muita coisa para que Raquel fosse sarada e seus planos virassem planos de Deus. Eu espero não passar, nem ver meus irmãos passando, por algo assim, pois não consigo imaginar algo mais triste do que a frustração de algo que deu tanto trabalho. Deus tenha misericórdia de nós.

"Senhor, quero aprender a seguir Teus caminhos abençoados e honrar Teus planos em minha vida. Chega de tentar empurrar meus planos para que Tu os abençoe. Ajuda-me Senhor."
Pastor Mário Fernandez

domingo, 20 de novembro de 2011

ALEGRIA NOS CÉUS!


Baseado e embasado no capítulo 15 do Evangelho de JESUS CRISTO escrito pelo SEU servo Lucas.
            JESUS contou muitas estórias (parábolas) para, através delas, ilustrar e tornar mais claros os SEUS ensinamentos.
            Uma das mais conhecidas é a chamada parábola do filho pródigo, que é, aliás, um título que não vem do original.
            Nesta estória, JESUS destaca um tema: ALEGRIA. Inclusive, esta é a última de uma série de estórias sobre o mesmo tema. As anteriores são as parábolas da ovelha e da moeda perdidas.
            Podemos ler no versículo 10 o seguinte:

“EU vos afirmo que de igual modo, há júbilo diante dos anjos de DEUS por um pecador que se arrepende”.
                                                                                   OU em outra tradução:
“Assim vos digo que há alegria, diante dos anjos de DEUS, por um pecador que se arrepende”.


            Nesta parábola, a do filho perdido, quando um jovem arrependido volta ao lar, o pai o recebe de braços abertos. Esse pai o vestiu, o calçou e lhe deu um anel dizendo: “... trazei também e matai o novilho cevado...” ou em outra tradução: “... E trazei o bezerro cevado e matai-o; e comamos e alegremo-nos; porque este filho estava morto e reviveu, tinha-se perdido e foi achado. E começaram a alegrar-se”. Isso se passa nos versículos 23 e 24. Mais adiante no versículo 32 leremos a seguinte afirmação do pai: “... mas era justo alegrarmo-nos e folgarmos...”.
            Por outro lado podemos ver dos versículos 28 aos 30 a tristeza do outro irmão, que não se alegrou com o retorno do filho perdido, pois se considerava melhor que seu irmão. Considerava-se bem comportado. No entanto, era mesmo apenas um invejoso, vaidoso de sua conduta, se mostrando cheio de ressentimentos e o pior de tudo, não tinha um pingo de amor fraternal.
            Agora façamos uma reflexão e vamos comparar os dois irmãos: Um era aventureiro, esbanjador e dissoluto, exigiu sua parte da herança até mesmo antes do pai chegar a morrer. O outro era invejoso, arrogante, dono da verdade, um prepotente que se achava melhor que seu irmão pecador.
            Daí façamo-nos a seguinte pergunta: Quem é o pior ou o mais pecador entre ambos?
            Difícil responder com precisão. Duro julgamento.
            Devemos entender que existem pecadores que são pecadores porque simplesmente cometem pecados, ou seja, pecam somente. No entanto, há outros pecadores que são pecadores porque simplesmente vivem apenas para julgar a vida de todos e que cometem um dos maiores pecados que é o de nunca se julgarem também pecadores.
            Aquele irmão caseiro e “cumpridor” era parecido com os fariseus fundamentalistas, conservadores natos, ciosos de si mesmos, sempre se julgando superiores a todos. JESUS lhes chamou de hipócritas, raça de víboras, e, os condenou severamente como podemos ler em Mateus 23.
            Ah meu DEUS, como eu amo JESUS! Sempre e Unicamente tão positivamente “subversivo”, inovador, frontal e, relativo à religião, obviamente “marginal”. Tão distante e distinto dos religiosos (escribas, fariseus... e dos de hoje em dia!). Tão diferente dos tradicionalistas, literalistas, legalistas, puritanos, pietistas.
            Por ser tão diferentes de todos estes, e por denunciá-los, JESUS foi odiado pelos mesmos, foi rejeitado e injustamente perseguido. Procuravam tudo para poder acusá-LO de alguma falha, mas nunca O pegaram, pois ELE nunca falhou.
            Acusaram-NO de comilão (glutão) e beberrão, amigo de publicanos e de mulheres de má conduta (adúltera) ou de vida fácil (prostitutas), transgressor da Lei Sagrada do Sábado, e do jejum (Marcos 2: 18 a 22, Marcos 7: 1 a 22) além de ter ido de encontro a outros cerimoniais da época.
            Contudo, JESUS trouxe ALEGRIA! A ALEGRIA, nomeadamente, nesta passagem bíblica, quando alguém cai em si mesmo e muda de vida (Lucas 15: 17 a 24).
            Todavia amado (a) leitor (a), nos dias de hoje ainda há tantos e tantos cristãos tristonhos, inibidos, recalcados, preconceituosos, donos das suas próprias verdades, cheios de si mesmos, senhores de tudo e de todos, proprietários da razão, soberbos, arrogantes e que sempre se acham melhores e mais santos que qualquer outro irmão.
        Cristãos que não apreciam e nem gostam das festas santas, que não gostam de cantar, de louvar, de dançar, de comer, beber e folgar e se alegrar com os outros irmãos, que não gostam de conviver em CRISTO! Não são nada como JESUS foi.  Nem compreendem como ELE nos ensina nessa preciosa parábola. Que PENA!
            DEVEMOS NOS ALEGRAR EM CRISTO COM OS NOSSOS IRMÃOS E SEMELHANTES, ASSIM ESTAREMOS OBEDECENDO AO MANDAMENTO DO SENHOR JESUS: “AMAI-VOS UNS AOS OUTROS ASSIM COM VOS AMEI”.

            LEIA a parábola por várias vezes. MEDITE nela. Tenho plena certeza e convicção que lendo a mesma, você mudará, e, acredite MUDAR só nos FAZ BEM.

Marcos Duarte.

sábado, 19 de novembro de 2011

PERDÃO



PERDÃO – A ATIDUDE PARA SERMOS LIVRES

“Sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo vos perdoou” (Efésios 4: 32) e na linguagem da BÍBLIA VIVA: “Em vez disso, sejam bondosos uns para com os outros, compassivos, se perdoando mutuamente, tal como Deus os perdoou por vocês pertencerem a Cristo.
Numa outra passagem DEUS nos orienta assim:
“Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, casa alguém tenha queixa contra outrem. Assim como o Senhor nos perdoou, assim também perdoai vós” (Colossenses 3: 13) e na linguagem da BÍBLIA VIVA segue assim: “Sejam amáveis e, prontos para perdoar; jamais guardem rancor. Lembrem-se que o Senhor os perdoou, portanto vocês devem perdoar os outros”.

Observando atentamente essa DIRETRIZ podemos compreender que não basta apenas o FATO de termos sido perdoados, mas sim o FATO de aprendermos e praticarmos o PERDÃO DIARIAMENTE a quem nós julgamos que possam ter nos ofendido, magoado ou praticado algum mal contra nós, pois não poderemos seguir com nossas orações clamando pelo PERDÃO do nosso DEUS se não perdoarmos seja quem for pelo que for. Isso é FATO!
PERDOAR é uma das ATITUDES mais básicas e essenciais da fé cristã, pois, a nossa entrada na vida que Jesus Cristo nos oferece, só é possível pelo FATO de recebemos o PERDÃO de nosso DEUS e PAI.
ELE nos AMOU e nos PERDOOU primeiro. O Perdão nos foi concedido mediante a obra de JESUS feita na cruz, em nosso favor. Amor e Perdão sempre andam juntos.
Aprendemos lendo a PALAVRA DE DEUS que “DEUS é AMOR”, ou seja, ELE é o próprio AMOR. E a maior prova desse AMOR para conosco foi o FATO de PERDOAR todos os nossos pecados mediante o sacrifício ÚNICO de JESUS. Logicamente devemos concluir e entender que porque ELE nos ama ELE nos perdoa, pois perdoar é um atributo de DEUS. 
           No entanto, PERDOAR é também um MANDAMENTO DE DEUS. Não é um sentimento, não depende apenas de nossa vontade ou emoção, ou seja, não deve estar atrelado ao nosso bel prazer. PERDOAR É ATITUDE.
            Quando Deus nos perdoou, pôs um fim à situação desastrosa em que nós nos encontrávamos, pois, estávamos condenados à morte como conseqüência do nosso pecado de desobediência. Ele nos chamou para uma nova vida, onde o AMOR e o PERDÃO sempre têm a sua máxima expressão. Perdoada a nossa ofensa, o relacionamento amoroso que nos une ao PAI ETERNO foi restaurado pela ATITUDE DELE em querer nos PERDOAR. Isso é o que podemos chamar de GRAÇA DIVINA.
Diante dessa ATITUDE de misericórdia e amor imerecido devemos, do mesmo modo, estender perdão a todo aquele que nos ofender. O PERDÃO DE DEUS deve gerar em nossos corações o desejo de perdoar incondicionalmente, tal com ELE fez conosco. 

PERDOAR significa deixar de considerar o outro com desprezo ou ressentimento. É deixar de sentir repúdio e ódio. É ter compaixão, deixando de lado toda a idéia de vingança daquilo que foi feito ou pelas conseqüências que sofremos.
O embasamento lógico para o ato de perdoar é o completo e livre perdão que recebemos do PAI. Assim como ELE nos perdoou, nós DEVEMOS perdoamos. Como filhos de DEUS o perdão que expressarmos, deve ser análogo ao SEU perdão – “perdoando-vos uns aos outros como, também Deus, em Cristo, vos perdoou” (Efésios 4.32), nos ensina a BÍBLIA. Portanto amados,

É INCONCEBÍVEL VIVER SOB O PERDÃO DE DEUS SEM PERDOAR AO PRÓXIMO, SE NÃO PERDOAMOS NÃO PASSAMOS DE FALSOS CRSITÃOS E HIPÓCRITAS.

 Na ORAÇÃO MODELO (PAI NOSSO) JESUS nos ensinou dessa forma: “perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado os nossos devedores” (Mateus 6.12). É esse espírito de perdão que deve permanecer em nós.
Se o PAI, antecipadamente, nos perdoou, mesmo imerecedores, DEVEMOS, em gratidão ao seu amor perdoador, também, perdoar aos que nos ofendem. O perdão deve uma característica do nosso viver cristão. Se o amor perdoador de Cristo foi sacrificial – ELE se deu por nós -, da mesma forma o nosso amor deve se expressar dando-nos, em amor, por aquele que nos ofendem.




 
EM QUE CIRCUNSTÂNCIAS DEVEMOS PERDOAR

1.      No momento em que fomos atingidos - injuriados, maltratados, ofendidos, perseguidos, etc. – O exemplo de Estevão mostra que ele perdoou no mesmo momento da agressão recebida (Atos 7.60) – “Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado”. Apedrejado até a morte, ele não pensou em si, pensou na situação dos agressores diante de Deus – perdoou-os e rogou por eles. Eis, aí manifesto o mais elevado e magnífico espírito cristão de perdão. Este primeiro mártir da fé cristã imitou o Senhor Jesus que orou na cruz: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23.34).
2.      Quando aquele que ofendeu pede perdão – Devemos estar preparados para perdoar, tão logo nos for solicitado o perdão. Deve ser uma ATITUDE IMEDIATA e sem guardar ressentimento algum. PERDÃO não é um sentimento, nem é facultativo. Ele resulta de colocar a nossa vontade sob a Vontade de DEUS.

QUANTAS VEZES DEVEMOS PERDOAR

            Essa foi uma das perguntas mais marcantes que Pedro fez a JESUS. A resposta do SENHOR foi SURPREENDENTE e nos trouxe algo novo, demonstrando que já não estamos sob a Lei, mas sim que estamos sobre a GRAÇA de DEUS.
“Senhor, até quantas vezes meu irmão pecará contra mim, que eu lhe perdoe? Sete vezes? Respondeu-lhe Jesus: Não te digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete” (Mateus 18.21,22).
Se a Lei Mosaica determina um número de vezes para perdoar, a ORIENTAÇÃO no EVANGELHO DE CRISTO não determina números, determina a aplicação do amor em grau infinito.

QUAIS AS CONDIÇÕES PARA RECEBERMOS PERDÃO

            Perdoar para ser perdoado é o ensino de Jesus:

- “se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas”. (Mateus 6.15).
- “Assim também meu Pai celeste vos fará, se no íntimo não perdoardes cada um ao seu irmão” (Mateus 18.35).
- “E, quando tiverdes orando, se tendes alguma cousa contra alguém, perdoai, para que o vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas” (Marcos 11.25).

A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO "A" NÓS MESMOS

            Muitas vezes, antes de podermos perdoar os outros, devemos perdoar a nós mesmos. Habitualmente somos mais duros conosco do que com os outros. Devemos recordar que JESUS CRISTO nos perdoou. Em Mateus 22.39 ELE nos ensina: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. Precisamos sentir que ELE nos ama e já nos perdoou. Para que isso ocorra, devemos lembrar a posição em que Deus já nos colocou: “nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus” (Efésios 2.6). Precisamos nos ver como somos aos olhos de DEUS e não segundo os nossos incorretos sentimentos. Em JESUS CRISTO está a nossa vitória.

O REAL VALOR DO PERDÃO

            Perdoar é essencial ao nosso bem estar interno e ao testemunho externo da igreja. Sem esta prática, as ervas daninhas da amargura, do ódio e do ressentimento impedirão de que representemos ao mundo, integralmente, o caráter de JESUS o nosso Senhor e Salvador. Amém.


O PERDÃO SOB A ÓTICA CIENTÍFICA PARA A BOA SAÚDE
Pesquisas e estudos vêm comprovando os benefícios, tanto mentais quanto físicos, do ato de perdoar. O Dr. Fred Luskin, autor de “O Poder do Perdão”, estuda o assunto há vários anos, e aqui resumo sua metodologia para praticar perdão:

OS NOVE PASSOS DO PERDÃO - Segundo o Dr. Fred Luskin
1.      Saiba exatamente como você se sente sobre o que ocorreu e seja capaz de expressar o que há de errado na situação. Então, relate a sua experiência a umas duas pessoas de sua máxima confiança;
2.      Comprometa-se consigo mesmo a fazer o que for preciso para se sentir melhor. O ato de perdoar é para você e ninguém mais. Ninguém mais precisa saber sua decisão;
3.      Entenda seu objetivo. Perdoar não significa necessariamente reconciliar-se com a pessoa que o perturbou, nem se tornar cúmplice dela. O que você procura é paz;
4.      Tenha uma perspectiva correta dos acontecimentos. Reconheça que o seu aborrecimento vem dos sentimentos negativos e desconforto físico de que você sofra agora, e não daquilo que o ofendeu ou agrediu dois minutos ou dez anos atrás;
5.      No momento em que você se sentir aflito, pratique técnicas de controle de estresse para atenuar os mecanismos de seu corpo;
6.      Desista de esperar, de outras pessoas ou de sua vida, coisas que elas não escolheram dar a você. Reconheça as “regras não cobráveis” que você tem para sua saúde ou para o comportamento seu e dos outros. Lembre a si mesmo que você pode esperar saúde, amizade e prosperidade e se esforçar para consegui-los. Porém você sofrerá se exigir que essas coisas aconteçam quando você não tem o poder de fazê-las acontecer;
7.      Coloque sua energia em tentar alcançar seus objetivos positivos por um meio que não seja através da experiência que o feriu. Em vez de reprisar mentalmente sua mágoa, procure outros caminhos para seus fins;
8.      Lembre-se de que uma vida bem Vivida é a sua melhor vingança. Em vez de se concentrar nas suas mágoas – o que daria poder sobre você à pessoa que o magoou – aprenda a buscar o amor, a beleza e a bondade ao seu redor;
9.      Modifique a sua história de ressentimento de forma que ela o lembre da escolha heróica que é perdoar. Passe de vítima a herói na história que você contar.

Concordo em boa parte, mas como CRISTÃO CONVICTO, sei que é AMANDO E PERDOANDO QUE ALCANÇAREI A PLENA ALEGRIA E FELICIDADE NA VIDA.
DEUS NOS ABENÇOE RICMENTE EM JESUS NOSSO SALVADOR! AMÉM!





 

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

SE CAIR, DEUS TE LEVANTA!






Vi esta postagem no facebook de uma amiga e gostei tanto que tomei a liberdade de postar no meu face e agora posto aqui no meu blog. Acredto que quem o ler ficará também satisfeito, pena que não sei quem é o autor para dar os créditos:



"TROPEÇOU? LEVANTE E SIGA EM FRENTE!"
Não faz muito tempo eu estava parado na calçada, esperando para atravessar a rua, quando de repente uma moça que vinha caminhando na minha direção tropeçou e caiu com tudo no chão. As pessoas que estavam mais próximas dela logo a socorreram, mas ela não conseguiu esconder o constrangimento que estava sentindo.
Você talvez já tenha visto pessoas bem vestidas caírem de cara no chão quando iam para a igreja. Talvez já tenha visto noivas e noivos tropeçarem no famoso tapete vermelho enquanto se dirigiam para o altar. Ou quem sabe você já viu alguém tropeçar justamente quando se encaminhava para receber um diploma.
Essas cenas geralmente são inesquecíveis! Mas é interessante que quando isso acontece, apesar de muitos rirem do que acabaram de presenciar, sempre há aqueles que prontamente estão dispostos a ajudar essas pessoas que tropeçaram.
Mas, você consegue se lembrar da última vez em que isso aconteceu com você? Não é engraçado como a primeira coisa que fazemos é darmos uma rápida olhada ao redor para conferir se alguém percebeu? Nessas horas gostaríamos de nos tornar invisíveis. A verdade é que podemos aprender muito com esse negócio de tropeçar.
Na profunda carta de Tiago, cada verso é como um bisturi – fazendo profundas incisões em nossa consciência. Escondido em Tiago 3:2 está algo que freqüentemente esquecemos: “Todos tropeçamos de muitas maneiras.” O que ele está querendo dizer? Ninguém é perfeito... Tropeçar é normal... Um fato da vida... Um ato que garante a nossa humanidade. E nunca se esqueça disso: você e eu somos HUMANOS! Tiago prossegue dizendo que freqüentemente tropeçamos no que dizemos. Quando algo diz respeito à língua, estragamos tudo! Veja o verso que Tiago escreveu um pouco antes: “Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos.” (Tiago 2: 10) e na linguagem da BÍBLIA VIVA o mesmo versículo é ainda mais esclarecedor:E a pessoa que guarda todas as leis de Deus, mas comete só um pequeno deslize, é tão culpada quanto à pessoa que quebrou todas as leis que existem”. Ele diz que tropeçar traz culpa, mesmo que tenha sido em só uma pequena área.
Como isso é verdade! Talvez você tenha acabado de tropeçar. Sente-se culpado, como um fracassado. Deseja loucamente nunca ter aberto a boca e ter respondido daquela forma, ou quem sabe ter feito o que acabou de fazer. Você sente-se um miserável, e gostaria de se esconder, ou melhor – cair e morrer. Isso não é de DEUS. Saia desse poço de autopiedade, sacuda a poeira com a promessa do perdão de DEUS – e siga em frente! 


Agora, temos de estar prontos para a realidade. Ao invés de receber a reação normal de compreensão e apoio, você pode encontrar alguém que tenha visto a sua queda e que vai querer mantê-lo lá embaixo, ou julgá-lo por causa do seu escorregão. Ore por essa pessoa! Ela talvez nunca leu a carta de Tiago ou se leu se esqueceu de que Tiago 3: 2 vale para TODO MUNDO!
A única diferença é que você não a viu tropeçar, e pode até ter visto. Mas acredite, ela já caiu! A moral disso tudo não é difícil de descobrir: DEUS QUER USÁ-LO – MESMO COM OS TROPEÇOS – MAS NÃO VAI AGIR SE VOCÊ SE RECUSAR A LEVANTAR!
Pessoas que tropeçam e desistem são como moedas de um centavo, existem aos montes. Mas na verdade, elas são quase inúteis. Pessoas que tropeçam e se levantam são como notas de cem reais, são raras.


DESCANSAR EM JESUS!

Quando JESUS nos falou: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e EU vos aliviarei” (Mateus 11: 28).
 Devemos entender que ELE nos remete uma idéia de ânimo, de encorajamento de nos valorizar como indivíduos que somos, ou como diríamos nos dias de hoje: “nos dando uma força”, só que nesse caso A FORÇA... ELE está nos mostrando que para ELE e com ELE tudo ainda tem jeito, ainda existe esperança, que há uma LUZ no fim do túnel (essa LUZ é o próprio JESUS – EU SOU A LUZ DO MUNDO...). Só JESUS pode se expressar assim, só a ELE foi dada, pelo nosso DEUS, essa autonomia: “Venha, EU SOU o que você precisa – EU SOU a sua Solução para todos os seus problemas, seja quais forem eles – EU SOU o ÚNICO Caminho – EU SOU a Verdade - EU SOU a Vida – EU SOU a Ressurreição, EU SOU a sua Salvação...”
Todavia temos de entender e ter bastante atenção para O FATO de que JESUS está nos fazendo um convite, e não nos obrigando a nada. ELE não quis apenas atrair para si os seus parentes, ou os seus amigos, ou os seus conterrâneos, mas ELE fez questão de chamar a “TODOS”, sem acepção, sem distinção, sem qualquer preconceito, portanto, não está em jogo quem é mais rico, mais bonito, mais claro ou mais inteligente: “Venham todos os que precisam, sem exceção, venham TODOS”.
Agora vamos raciocinar: Quem mais nos oprime? O pecado. Ele é o nosso maior opressor, é a razão de nossas derrotas, do nosso abatimento, da nossa decadência, e, o SENHOR colocou nome no pecado, chamou-o de cansaço: “Vinde a mim, todos os que estais cansados...” Sim, aos que estão prostrados ante ao peso das iniqüidades, derrotados pelas conseqüências dos seus atos falhos, aos que estão oprimidos por elas.
O FATO amados é que o pecado realmente nos oprime, nos encosta à parede, nos lança na lama da pior espécie, na sarjeta, no chão, no fundo do poço. Somos massacrados por nossa infidelidade, nos sentimos infelizes por nossa desobediência a DEUS, e nos tornamos enfastiados, sem forças, vítimas e reféns do acusador (satanás e seus demônios).
Contudo, é exatamente aí que vem o melhor de tudo: O SENHOR nos chama a ELE, e somente ELE pode fazer isso com firmeza, com segurança, com garantia de que podemos ir sem medos e sem receios, na plena certeza de que seremos atendidos e ajudados. Só ELE tem o poder de transformar; de perdoar pecados; de trazer conforto; só ELE tem o bálsamo, o remédio; a água que refrigera; a paz para a alma. Só ELE tem as Palavras de vida: “Venham todos, todos os pecadores, todos os que estão cansados e atribulados, confessem-me, e EU vos aliviarei.”
CREIA, CONFIE E ACREDITE que somente JESUS CRISTO poderá lhe dar descanso e aliviar o seu fardo. Deixe que ELE leve pra você todos os seus problemas e ainda alivie as suas dores. ACREDITE, ELE pode tudo... Aquilo que nos é parece impossível, para Deus tudo é possível.
Finalizo com o SALMO 37: 4 e 5:
Faça do SENHOR a sua grande alegria e ELE dará a você os desejos do seu coração. Deixe nas mãos do SENHOR tudo o que você for fazer. Confie NELE de todo o coração e Ele fará o que for necessário”.